Socioemocional

Hiperatividade infantil: como identificar e como lidar

Postado em: 21/05/2024

A hiperatividade infantil é um tema que suscita muitas dúvidas e preocupações entre famílias, educadores e profissionais da saúde. A agitação constante, a dificuldade de concentração e a impulsividade são características que podem impactar negativamente o desenvolvimento e a socialização da criança. Este artigo tem como objetivo esclarecer o que é hiperatividade, como identificá-la, quais são seus principais sintomas e, finalmente, como lidar com essa condição. Tenha uma boa leitura!

O que é hiperatividade?

A hiperatividade é um dos sintomas principais do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), um transtorno neurológico que afeta o comportamento e a capacidade de concentração, causando um excesso de energia que impacta não somente na dificuldade de atenção, mas também em outros sintomas como impulsividade, desorganização e inquietude. 

Por seus sintomas, a hiperatividade pode, muitas vezes, ser confundida com ansiedade, porém a hiperatividade se manifesta principalmente como uma necessidade constante de movimento, que é excessiva e que a criança tem dificuldade em conter, mas nem sempre motivada por ansiedade ou por uma reação emocional. 

O TDAH é geralmente diagnosticado na infância e pode persistir na vida adulta. Crianças com hiperatividade têm um nível de atividade física e mental significativamente acima do normal para sua idade e fase de desenvolvimento. Não se sabe ainda, exatamente, quais são as causas da hiperatividade, mas entende-se que fatores de risco como parto prematuro, gestação complicada, doenças genéticas, depressão materna, crises familiares e tabagismo na gravidez podem aumentar as chances de desenvolver a hiperatividade. 


Como identificar a hiperatividade infantil?

Identificar a hiperatividade infantil envolve observar comportamentos específicos que são persistentes para a idade da criança. Esses comportamentos devem ser observados em mais de um ambiente, como em casa e na escola, por exemplo, e durante um período de tempo, de forma a não confundir a agitação normal das crianças com hiperatividade.

Ao observar a criança, é necessário atenção a comportamentos de agitação e impulsividade que a criança não consegue controlar e exterioriza em sinais, como: dificuldade de manter a atenção e de finalizar uma atividade; desorganização; impaciência; inquietação constante e excesso de fala. 

A avaliação também deve ser realizada por profissionais de saúde e psicologia, que podem utilizar questionários padronizados, entrevistas com famílias e professores, além da observação direta da criança.

Quais são os principais sintomas de hiperatividade infantil

Os sintomas de hiperatividade infantil, por ser um transtorno mais generalizado, podem variar e se apresentar de forma diferente em cada criança. Porém, alguns comportamentos, quando associados, podem auxiliar na identificação da hiperatividade. A seguir, detalhamos alguns deles. 

Movimentação excessiva e impulsividade

Crianças hiperativas têm dificuldade em ficar paradas e podem se mexer continuamente, batendo os pés, mexendo as mãos ou se levantando frequentemente, mesmo em situações que exigem quietude, como na sala de aula. Outra característica é a impulsividade, já que tendem a agir sem pensar, interrompendo conversas ou atividades, com dificuldade para esperar sua vez. Este também pode ser um comportamento arriscado, já que agem de forma incontrolável, sem considerar a possibilidade de se machucar.

Baixo desempenho escolar

A falta de foco impacta em uma baixa concentração, o que dificulta a execução de atividades e a atenção no que é passado pelo professor, influenciando o aprendizado. Além disso, as crianças hiperativas também têm dificuldades para finalizar atividades. Isso pode impactar o desempenho escolar quando uma tarefa exige um período mais prolongado de atenção, com resultados abaixo do esperado. 

Por isso, é tão importante a parceria entre a escola e as famílias na identificação destes sinais, para que possam, juntos, buscar orientações e apoio profissional para reduzir os impactos da hiperatividade.

Sono agitado

A criança hiperativa também tem dificuldade para dormir com tranquilidade. Ela pode demorar mais tempo para adormecer, ter sono interrompido com frequência e acordar várias vezes durante a noite, se movendo de forma excessiva e, até mesmo, pode falar durante o sono. A incapacidade de relaxar e a atividade mental intensa contribuem para um sono superficial e não reparador, resultando em fadiga e irritabilidade durante o dia.

Dificuldade para agir com disciplina

A hiperatividade pode ser frequentemente confundida com indisciplina, pois crianças hiperativas tendem a apresentar comportamentos impulsivos, dificuldade em seguir regras e problemas em prestar atenção. No entanto, é crucial entender que essas ações não são intencionais, mas sim resultados de um transtorno neurobiológico. 

Para ajudar, é fundamental adotar abordagens específicas como a criação de rotinas estruturadas, o uso de reforço positivo para comportamentos desejáveis e a implementação de técnicas de manejo comportamental. Compreensão e suporte adequado por parte de famílias e educadores podem fazer uma grande diferença no desenvolvimento e bem-estar da criança.

Além destes, outros sinais também podem estar relacionados à hiperatividade, como:

  • dificuldade para seguir orientações;
  • ansiedade;
  • agitação e tiques nervosos;
  • machucados e lesões;
  • fala excessiva;
  • agressividade.


Como lidar com a hiperatividade infantil

Lidar com a hiperatividade infantil requer uma abordagem multifacetada que envolve famílias, educadores e profissionais da saúde. Além disso, é preciso compreender que a criança é quem sente os maiores impactos, já que nota suas dificuldades e como seus comportamentos podem ser desafiadores para outras pessoas. Por isso, a abertura ao diálogo e o acolhimento são essenciais. 

Além disso, outras estratégias podem auxiliar famílias e educadores a lidar com a hiperatividade. Veja algumas delas:

  1. Ambiente estruturado: criar uma rotina consistente ajuda a criança a saber o que esperar, reduzindo a ansiedade e a impulsividade.
  2. Reforço positivo: elogiar e recompensar comportamentos desejáveis pode motivar a criança a repetir essas ações.
  3. Atividades físicas: encorajar a participação em esportes ou atividades físicas pode ajudar a canalizar a energia excessiva de maneira positiva.
  4. Aprendizado de habilidades sociais: ensinar habilidades de comunicação, autoconhecimento e resolução de problemas, por exemplo, pode melhorar as interações sociais.
  5. Estímulo à leitura: ao ler com frequência, a criança consegue ampliar seu tempo de concentração e de foco. 
  6. Usar a ludicidade: estimular o uso da imaginação em brincadeiras lúdicas pode ajudar a manter a concentração e acalmar a criança.

Como é o tratamento da hiperatividade infantil?

O tratamento da hiperatividade geralmente envolve profissionais de saúde e psicologia, com uma abordagem comportamental e educativa. A terapia comportamental é fundamental para ajudar a criança a desenvolver habilidades de autocontrole e organização. Técnicas como sistemas de recompensas e reforço positivo podem ser eficazes para incentivar comportamentos desejáveis. A terapia cognitivo-comportamental (TCC) também pode ser útil para ensinar a criança estratégias para gerenciar sua impulsividade e melhorar sua capacidade de concentração.

As famílias podem buscar ajuda profissional consultando pediatras, psicólogos ou psiquiatras especializados em transtornos de atenção e comportamento. É importante iniciar o processo com uma avaliação completa para confirmar o diagnóstico de hiperatividade e excluir outras possíveis condições. 

Além disso, grupos de apoio para pais e workshops sobre TDAH podem fornecer valiosas informações e estratégias práticas para lidar com a condição. Trabalhar em estreita colaboração com a escola da criança para garantir que ela receba o suporte educacional necessário também é crucial. A integração de um plano de tratamento abrangente, que envolve profissionais de saúde, educadores e a família, é essencial para promover o bem-estar e o desenvolvimento saudável da criança.

A hiperatividade infantil é um desafio significativo, mas com uma abordagem adequada, é possível ajudar a criança a desenvolver as habilidades necessárias para um desenvolvimento saudável. O reconhecimento precoce dos sintomas e a intervenção apropriada são essenciais para garantir que as crianças com hiperatividade possam alcançar seu pleno potencial. Educar famílias, professores e a comunidade sobre o TDAH e suas implicações é um passo importante para criar um ambiente de apoio e compreensão.

Gostou deste artigo? Aproveite para ler também nosso artigo sobre “Afeto, emoção e sentimento: qual a diferença e por que levar a aprendizagem para a escola?” e saiba como a Jovens for Schools é um programa que apoia a sua escola na formação de estudantes mais preparados para os desafios do presente e do futuro, por meio da Educação Socioemocional, Financeira e Empreendedora

Artigos relacionados

O programa da maior empresa de educação financeira do Brasil.

Educação socioemocional, financeira e empreendedora de forma lúdica, prática e intuitiva.

JOVENS FOR SCHOOLS 
CNPJ – 33.229.343/0001-81

Posso ajudar?